Dicas de passagens de volta ao mundo


Fazer uma viagem de volta ao mundo deixou de ser um sonho distante para tornar-se uma realidade acessível ao viajante comum. Graças às alianças de companhias aéreas e os tickets RTW (“round the world”), comprar uma passagem de volta ao mundo nunca foi tão fácil — seja com dinheiro ou com milhas! Se você sempre quis realizar uma jornada inesquecível pelos quatro cantos do globo mas não sabia por onde começar, confira nossas dicas e saiba quanto custa e como comprar um bilhete de volta ao mundo!

Imagem relacionada


Como comprar uma passagem de volta ao mundo?

Existem alternativas, mas a melhor maneira de dar uma volta ao mundo ainda é de avião 🙂

Você não precisa comprar bilhetes avulsos por trecho (sujeitos à disponibilidade e variações de tarifa). O jeito mais simples de comprar uma passagem de volta ao mundo é adquirir um Round The World Ticket, um bilhete especial com múltiplas paradas vendido pelas principais alianças de companhias aéreas. Com esse ticket você pode reservar todos os voos de sua viagem com antecedência.

Existem algumas regras nas passagens de volta ao mundo que variam de acordo com cada aliança, mas podemos resumi-las assim:

– A viagem deve começar e terminar no mesmo país;

– A duração mínima da viagem é de 10 dias, e a máxima é de 1 ano;

– O número mínimo de trechos é 3, e o máximo 16.

– É necessário dar uma volta completa no globo, seguindo no mesmo sentido. Isto é, se você sair do Brasil para Europa, não pode regressar para a América do Norte, por exemplo. Será necessário seguir em frente até passar pela Ásia/Oceania e retornar ao Brasil via Oceano Pacífico. Não é obrigatório visitar todos os continentes, mas para caracterizar uma volta ao mundo você precisará sair e voltar atravessando os dois Oceanos;

– Conexões são contabilizadas como “trechos”, se possível tente priorizar voos diretos;

– O preço final é calculado levando em consideração o número de milhas percorridas, a classe escolhida e o número de zonas (as alianças separam o mundo em zonas/continentes visitados);

– É possível realizar alterações nas datas de voo sem pagar taxas, desde que dentro do prazo mínimo determinado pela aliança. No entanto, alterações no roteiro serão sujeitas à cobrança.

 

 

Quanto custa uma passagem de volta ao mundo?

O preço de uma viagem de volta ao mundo varia de acordo com o número de trechos e continentes a serem percorridos. Vale mencionar que todos os valores são calculados em dólar, o que pode mudar a percepção de “barato” e “caro” para os viajantes brasileiros de acordo com a variação cambial.

 

Em nossas simulações, chegamos aos seguintes valores:

Roteiro 1: 16 países/5 continentes:
U$ 4.500 por pessoa (U$ 281,25 por trecho)

Roteiro 2: 7 países/4 continentes:
U$ 3.200 por pessoa (U$ 457,14 por trecho)

Roteiro 3: 3 países/3 continentes:
U$ 1.500 por pessoa (U$ 500 por trecho)

Viajantes frequentes que possuam milhas aéreas suficientes podem convertê-las em uma passagem de volta ao mundo. Vale lembrar que comprando com dinheiro é possível acumular milhas nos voos de uma viagem ao redor do mundo, garantindo uma boa pontuação a ser utilizada no futuro.

Por tratar-se de um bilhete com preço mais alto que o habitual, existem algumas reclamações sobre impossibilidade de parcelamento ou valores acima do limite do cartão. Tente conversar com sua operadora a respeito e negocie um aumento de limite. No pior dos casos, você também pode utilizar um cartão pré-pago na função de crédito, uma alternativa às limitações do crédito bancário.

 

 

Como montar um roteiro de volta ao mundo?

Pode parecer bobagem, mas montar seu roteiro de volta ao mundo provavelmente será uma das tarefas mais difíceis durante o planejamento da viagem. Lembre-se que há regras a serem seguidas, que exigem uma volta completa no globo, com voos seguindo no mesmo sentido e retornando ao ponto de origem.

Uma opção muito popular é sair do Brasil em direção à Santiago do Chile, uma escolha que oferece boas conexões cruzando o Pacífico para a Ilha da Páscoa, Oceania e posteriormente à Ásia. Outra alternativa é seguir no sentido anti-horário, optando por começar a viagem na Europa, África ou até mesmo outros destinos nas Américas.

Separamos alguns exemplos de viajantes que adaptaram seus roteiros de volta ao mundo para obter o máximo dos tickets RTW, confira:

– Vania e Carlos (Blog Two Backpackers)
14 trechos
Duração da viagem: um ano

Roteiro em sentido horário, saindo do Brasil para Santiago

 

– Danielle e Caio (Blog Casal Alfanumérico)
9 trechos
Duração da viagem: um ano

Roteiro começando do Brasil em direção à África do Sul, Egito e subindo para a Europa

 

 

– Patricia Takehana (Blog Bagagem de Memórias)
12 trechos (+ trechos internos comprados separadamente)
Duração da viagem: 6 meses e meio

Roteiro começando pelos EUA e atravessando o Atlântico em direção à Europa

 

 

 

 

 

fonte: http://www.melhoresdestinos.com.br/passagens-volta-ao-mundo-dicas.html