Jericoacoara


Para quem viaja naquela batida ‘um passeio diferente por dia’, Jericoacoara pode ser traçada em três dias: tem um passeio de bugue para o leste (com uma paradinha na Pedra Furada), um passeio de bugue para o oeste, e mais um dia na lagoa. Em todos os dias, dá para estar de volta à vila a tempo de subir a duna do pôr do sol.

Quem vai para pegar sol e relaxar, porém, pode fazer revezamento entre a praia da vila e as de Jijoca por quanto tempo puder. Já para os praticantes de wind e kitesurf, qualquer temporada na vila é curta. Enquanto houver vento, haverá vontade de ficar em Jericoacoara.

jeri-geral-gris

QUANDO IR?

A melhor época para ir a Jericoacoara é o segundo semestre: de julho a dezembro, praticamente não chove.

A alta temporada começa em julho, com as férias brasileiras (e o início do verão cearense) e atravessa todo o segundo semestre, graças aos ventos constantes, que trazem os kitesurfistas e windsurfistas gringos para Jeri entre agosto e dezembro.

Em janeiro os preços continuam altos por causa das férias brasileiras (e também porque ainda é o finzinho da temporada dos ventos), que persistem até o Carnaval. Mas o tempo firme já não é tão garantido em Jericoacoara: começam a aparecer os dias nublados, e é possível chover.

Historicamente, os meses mais chuvosos são março e abril, quando a precipitação costuma atingir 300mm. Maio também pode ser chuvoso, mas um pouco menos: a precipitação média é de 200mm.

O mês com a melhor relação custo x benefício para ir a Jericoacoara (isto é, caso você não seja windsurfista ou kitesurfista) é junho, quando o sol já predomina, mas os ventos (e os preços mais altos) ainda não chegaram.

Para pegar as lagoas de Jijoca mais cheias, vá entre junho e outubro. Nos anos de pouca chuva, as lagoas podem secar no meio do segundo semestre.

Ao longo do ano, Jeri tem mínimas sempre acima de 22ºC e máximas entre os 30ºC e 35ºC. Ao ar livre, o vento sempre aplaca o calor; mas para dormir, você vai precisar de ar condicionado.

jeri-geral-corda

 

 

PASSEIOS

Praia da vilaO que fazer em Jericoacoara: praia

A praia em frente à vila tem uma faixa de areia que alarga e encurta de acordo com as marés. A água é rasinha, com ondas intermitentes mas inofensivas (dá para fazer SUP surf).

 

Com o fim do trânsito de veículos na praia, aumentou a área ocupada por espreguiçadeiras. São todas de madeira, com colchonetes (traga sua canga ou peça toalha na pousada). Os barraqueiros que alugam as espreguiçadeiras também vendem bebidas e fazem drinks.

 

Canto direito
O que fazer em Jericoacoara: praia

À direita da vila, este trecho é o endereço do melhor point para passar um dia ao sol: o Club Ventos, instalado sobre um barranco, com vista privilegiada dos windsurfistas (e também dos SUPeiros) em ação. O serviço é eficiente e o buffet do almoço, ótimo. Se entrar no mar, tome cuidado com as pranchas.

 

Lagoas de Jijoca

O que fazer em Jericoacoara: Lagoa do Paraíso, Jijoca

Se não sabia, fique sabendo: todas aquelas fotos de praias de areia branquíssima e água caribenha são tiradas nas lagoas de água doce de Jijoca. E já que estamos aqui, é necessária uma segunda revelação: ‘as lagoas’ são, na verdade, uma só. Lagoa Azul e Lagoa do Paraíso são apenas os nomes de dois trechos da Lagoa de Jijoca. No auge da temporada seca, lá pelo fim do ano, elas costumam se dividir, tornando-se realmente duas.

A propósito: o volume de chuvas no primeiro semestre é decisivo para a situação das lagoas. Quanto menos chuva, mais cedo elas ficam com pouca água (em 2016, a Lagoa Azul chegou a fechar). Em 2017 choveu bastante no primeiro semestre, então é provável que as duas cheguem com água ao verão de 2018.

 

Lagoa Azul
O que fazer em Jericoacoara: Lagoa Azul

A Lagoa Azul fica para os lados do Preá e é o point de passeios de bugue e de quem alugou quadriciclo.

 

Lagoa do Paraíso
O que fazer em Jericoacoara: Lagoa do Paraíso, Jijoca

A Lagoa do Paraíso é mais perene e fica perto do centro de Jijoca. Ao longo desta margem se encontram restaurantes com boa estrutura, alguns deles pertencentes a pousadas.

O que fazer em Jericoacoara: ponto das jardineiras para Jijoca

O transporte entre Jeri e a Lagoa do Paraíso é muito fácil: basta ir ao ponto de jardineiras da rua São Francisco (perto da agência da Fretcar) e subir na primeira da fila. Quando lotar, com 12 passageiros, a jardineira parte — e deixa os passageiros onde quiserem, na Lagoa do Paraíso ou no centro de Jijoca. Para voltar, peça para o restaurante chamar; pode demorar um pouco, mas a jardineira passa. A passagem custa R$ 20 por passageiro, por trecho. (Atenção: as jardineiras não passam na Lagoa Azul.)

 

Praia do PreáPraia do Preá

Na geografia dos ventos de Jericoacoara, a praia do Preá é reservada para os kitesurfistas. É uma praia de mar aberto, sem maiores atrativos além do balé das kites.

 

Pôr do sol na dunaJericoacoara

O ritual se repete todas as tardes: perto das 5, os visitantes largam tudo o que estão fazendo e se dirigem à duna. De longe, parecem formiguinhas em fila galgando uma pedra. O sol começa a cair às 5 e meia; no começo a descida é lenta, mas perto das 6 acelera até o momento de desaparecer no mar, sob aplausos. Querendo injetar adrenalina no pôr do sol, dá para fazer esquibunda ou snowboard. Na saída, a tradição é descer a duna pela frente. (Não se preocupe, o vento imediatamente recompõe a forma original da montanha de areia.)

 

Pedra Furada

jeri-pedra-furada

Se a duna é o passeio mais popular, a Pedra Furada é o cartão postal oficial de Jericoacoara. Fica a meia hora de caminhada desde o canto direito da vila. O caminho pela beira-mar, porém, só pode ser feito na maré baixa; na maré alta a rota é por cima do Morro do Serrote. O ideal é ir de manhã, para que o sol incida na pedra. Muita gente também vai para o pôr do sol; em julho, o sol se põe ‘dentro’ do furo da pedra.

Se não quiser ir andando, você pode contratar um passeio a cavalo até a Pedra Furada.

Os bugueiros não gostam de fazer o passeio específico à Pedra Furada; o mais comum é incluir a Pedra Furada como parada dos passeios de buggy na direção leste.

 

Passeios de buggy

Há dois passeios de buggy principais, de dia inteiro:

  • De buggy para o oeste: é o passeio mais diversificado. Você é levado até Mangue Seco, onde faz o passeio de canoa para ver cavalos-marinhos (pago à parte), depois atravessa de balsa a Guriú, sobe as dunas de Tatajuba, almoça no Lago de Tatajuba e volta para o pôr do sol na duna.
  • De buggy para o leste: passa pela Pedra Furada e pela Árvore da Preguiça (uma planta de mangue que parece árvore e virou atração turística) e segue para as lagoas Azul e do Paraíso. Pode-se negociar para incluir a Barrinha, uma duna com lagoas estilo Lençóis Maranhenses.

Dá também para negociar passeios mais curtos, à Lagoa Azul, à Barrinha ou às dunas do parque nacional. O melhor momento de negociar passeios é à noite. Há vários stands de cooperativas e agências no iniciozinho da rua Principal.

 

 

 

fonte: https://www.viajenaviagem.com/destino/jericoacoara/o-que-fazer-jericoacoara/